Impotência na terceira idade?

Depois de ler, avalie o artigo aqui:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...

Tempo de leitura: 11 minutos

Com o passar dos anos, o corpo tende a envelhecer e ter algumas de suas funções prejudicadas, mas ainda assim é possível ter prazer durante o sexo. A satisfação sexual diminui com o tempo, mas essa situação pode ser revertida com medicamentos que auxiliam na ereção. Apesar disso, a principal recomendação continua sendo a prática frequente de exercícios físicos.

Homens idosos que possuem hábitos saudáveis, praticam exercícios físicos e se alimentam adequadamente podem ter ereções naturalmente, sem precisar recorrer a ajuda de medicamentos.

Cuidar da saúde faz com que o corpo funcione naturalmente e as ereções ocorram mesmo após os 80 anos de idade.

Aqueles que têm doenças como diabetes, relacionadas a circulação e hipertensão podem ter dificuldades durante o ato sexual. Isso, por que o processo que leva a ereção depende de estímulos recebidos em resposta neurovascular, a qual proporciona a dilatação das partes cavernosas penianas e leva ao aumento do fluxo sanguíneo no pênis.

Alteração hormonal, doenças crônicas, neurológicas ou colesterol alto são outros problemas que podem influenciar no prazer sexual.

Não são incomuns casos de ereção em que o homem não consegue mantê-la até que haja satisfação do casal, por isso é importante desde cedo se preocupar com a saúde e tratar corretamente essas complicações.

Apesar de hábitos saudáveis proporcionarem aos homens mais velhos uma vitalidade mais longa, é preciso respeitar os limites do corpo, o qual muda com o passar dos anos. A diferença de tempo em que um jovem e um idoso precisam para se recuperar de uma ereção e conseguir outra é bastante significativa.

Homens com mais de 45 anos já podem perceber diferença na relação sexual.

Isso se deve aos menores níveis de testosterona. Essa baixa resulta na diminuição da disposição física e também de libido, o que promove uma deficiência na sensibilidade peniana e na ereção.

Embora a questão física seja extremamente importante para um bom desempenho sexual, o lado emocional também conta muito na hora do sexo. Estresse, insegurança e inexperiência são alguns dos fatores influenciáveis e que podem causar impotência sexual, o que não tem idade para acontecer. A química entre o casal é considerada um fator determinante para uma boa relação a dois.

Hormônios e a sexualidade na terceira idade

A sexualidade na terceira idade apresenta estereótipos de diversos significados que se associam às disfunções ou insatisfações com o ato sexual. A aparência física contribui para uma atitude inibitória da atividade sexual. No entanto, estudos apontam que há um grande número de idosos com idade superior aos 65 anos que continuam a atividade sexual e relatam estar satisfeitos com o sexo e seu parceiro. 

A atividade sexual regular ajuda a manter a habilidade no sexo. Com o processo de envelhecimento, sabe-se que há diminuição de resposta aos estímulos. No homem, a produção de espermatozoides e testosterona diminui após os 40 anos. Por sua vez, a mulher idosa perde a libido devido à redução de hormônios durante a menopausa, enquanto o homem mantém a libido, mas apresenta disfunções na ereção e ejaculação. As alterações podem intervir no aspecto sexual, social e psicológico da pessoa idosa.

As pessoas idosas podem apresentar sentimentos de temor e ansiedade que resultam em interpretações negativas sobre a atividade sexual, as alterações na estrutura genital e a resposta sexual. Tais sentimentos podem emergir quando detectado a impotência sexual e frigidez feminina. A impotência sexual pode agravar-se em pessoas com diagnósticos de problemas cardíacos, diabetes e hipertensão arterial. Por sua vez, nos casos de morbidade e de invalidez que possam trazer alterações na sexualidade, não se deve impedir a pessoa idosa que tenha uma vida sexual satisfatória e de realização pessoal.

Dicas sobre a vida sexual ativa na 3º idade

À medida que envelhecemos, costumamos deixar muitos costumes e práticas ficarem para trás. O sexo é uma delas, pois imagina-se que ele pode, por exemplo, ser bem diferente na terceira idade. Nada disso! Engana-se quem pensa que os mais velhos não podem ter uma vida sexual ativa e prazerosa.

Idosos podem e devem ter uma vida sexual ativa e não há motivos para se sentirem envergonhados ou acharem que a prática é ousada demais para a idade. São inúmeros os benefícios dessa prática tanto para a saúde do corpo quanto da mente, proporcionando maior qualidade de vida e equilíbrio do sistema neuroendócrino. 

São inúmeras as medidas que podem ajudar a melhorar o prazer da relação íntima para quem está na terceira idade.  Abaixo, listamos algumas dicas que ajudarão a tirar dúvidas e a quebrar esse tabu relacionado à sexualidade na velhice: 

1- O tempo de ereção é outro

Primeiramente, é importante saber (e aceitar) que nossos reflexos sexuais ficam mais lentos, à medida que envelhecemos, e que a relação sexual não continuará a mesma de quando se era jovem ou adulto. Por isso, a dica é deixar fluir, pois o corpo mudou e não tem mais o mesmo pique para aguentar maratonas sexuais ou penetração por muito tempo. 

O tempo que o idoso consegue sustentar a ereção é menor e muitas coisas mudarão durante a relação, mas nem por isso os homens devem deixar de tê-la. Às vezes, terão orgasmo sem ereção ou não ejacularão. A sensibilidade na área genital, tanto masculina quanto feminina, também terá certa redução.

2 – Mulheres também percebem alterações na penetração 

As mulheres também sofrem com as disfunções fisiológicas. Um distúrbio comum nelas é a dor na penetração ou na movimentação, seja porque a vagina não lubrifica (secura vaginal) ou vasculariza após a menopausa, porque tem queda do útero ou bexiga ou o pênis do homem (pouco ereto) dobra e leva à dor. 

Isso pode ser resolvido com utilização de creme de estrogênio tópico ou gel lubrificante com diferentes texturas, gostos, cheiros e finalidades. Para as mulheres que podem, é indicada a reposição hormonal, que leva a um aumento do desejo sexual.

3 – As formas de prazer podem ser diferentes

Lembre-se de que sexo não é só penetração. Uma dica para os idosos resgatarem a sexualidade são técnicas de contato sensorial para recuperar a intimidade física sem sentir pressão.

A sugestão é que o casal passe a tocar um ao outro enquanto cada um se concentra em suas próprias percepções. Desta maneira, a exploração da sexualidade será mais confortável e a proximidade na hora do ato também.

4 – Estimulantes sexuais podem auxiliar na hora do sexo

Que tal melhorar seu repertório de posições? Evite a mesmice mesmo que ela seja a mais confortável ou a mais fácil! Explorar diferentes formas de fazer sexo aumenta a motivação e ainda pode ajudar a superar certos problemas. Além disso, existem posições que facilitam o orgasmo feminino.

Se tudo isso não surtir efeito, consulte um médico, pois problemas de ereção podem ser atenuados com uso de medicação adequada.

5- A pessoa infartada pode fazer sexo normalmente? 

Um episódio cardiovascular não é impedimento para o sexo. Converse com seu médico e ele, com certeza, lhe explicará sobre os mitos acerca do esforço físico envolvido na atividade sexual.

Na verdade, o esforço pré-orgasmo ou durante o orgasmo equivale ao que fazemos quando caminhamos em terreno plano a uma velocidade de 3 a 6 quilômetros por hora. Nada que vá comprometer seu coração.

6 – Interromper a atividade sexual por um tempo, pode ser pior 

Há deterioração do órgão quando se para com a atividade sexual. A retomada faz com que a pessoa se sinta melhor em todos os sentidos. Do ponto de vista neurocerebral, o sexo faz bem para o corpo inteiro.

O orgasmo causa uma descarga de endorfina, que causará efeito calmante e ainda é um potente analgésico, diminuindo eventuais dores no corpo do idoso.

7 – A intimidade deve ser prestigiada

O casal não deve se esquecer de como eram no início do relacionamento. A afetividade feminina e o incontrolável desejo sexual masculino eram marcantes na vida do casal. Desde que não se perca isso, o casal sempre será ativo sexualmente.

É fundamental também entenderem que seus corpos tiveram alterações e que, juntos, precisam se adaptar.

8 – Acessórios sexuais podem ser ótimos aliados 

Brinquedos sexuais ajudam bastante e os casais devem se sentir confortáveis em usá-los. A compra pode ser feita online, caso o casal não queira se expor.

Muitos modelos foram pensados e planejados para serem usados por duas pessoas, até mesmo durante a penetração. Modelos individuais também são interessantes, pois podem auxiliar a pessoa a se conhecer melhor e direcionar a gosto o sexo com seu parceiro. 

9 – Não deixe de usar preservativo 

Atente-se para o detalhe de que o número de idosos infectados pelo vírus do HIV aumentou bastante. Isso se deve porque o homem não quer usar preservativo para não perder a ereção, e, por isso, acaba sendo contaminado. O uso do preservativo impede gravidez indesejada, visto que o homem continua fértil e pode encontrar parceira também fértil.

10 – Saúde pélvica 

A estrutura muscular na região da bacia, que serve para controle urinário, fecal e ginecológico, garante a melhor qualidade sexual durante o envelhecimento.

É importante evitar chegar à terceira idade com incontinência urinária ou perdendo fezes durante o ato sexual. Por isso, pratique exercícios para essa região do corpo que podem ser feitos desde a idade adulta. Consulte seu ginecologista ou proctologista.

11 – Não se renda

Se apesar das dicas anteriores a situação não melhorar, não é preciso ficar desesperado. Procure uma opinião médica para que o profissional possa ajudar ou indicar um terapeuta sexual que, por sua vez, identifique o que está privando o casal de uma boa vida sexual.

Desejos e tabu na terceira idade

Antigamente, o que se comentava era que depois de determinada idade não se tinha mais vida sexual. Isso acontecia porque, provavelmente, as pessoas se “aposentavam” dos prazeres e sufocavam os seus desejos para não serem chamados de “velhos (as) tarados (as)”.

Ultimamente, muito se tem pesquisado sobre a capacidade e o desempenho sexual das pessoas acima de 70. Cada dia, se comprova mais que, enquanto houver saúde física e emocional, fantasias devem povoar a cabeça das pessoas para que tenham mais vitalidade e energia em desenvolver sua vida sexual. 

No entanto, para que haja sexo na terceira idade, é preciso que ele tenha sido explorado nos anos que antecedem a chegada deste período. A vida sexual de pessoas da terceira idade vai depender de como elas dispuseram de sua energia sexual até chegar a essa etapa da vida. 

A terceira idade é um momento de descobertas e de ajustes. E nisto está incluso um novo mergulho em si mesmo. As carências serão outras, assim como as fortalezas e as crenças. Não é possível entrar nessa fase querendo reproduzir os modelos e as sensações dos períodos anteriores.

Tanto os homens quanto as mulheres enfrentam limitações físicas, mas também contam com novas motivações, e são elas que devem reger a busca por uma vida sadia.

É claro que não se pode antecipar problemas, mas alguns cuidados são válidos para que se possa usufruir o melhor que a maturidade oferece. Por isso, a importância de se fazer um checkup anualmente, praticar regularmente exercícios físicos e cultivar hábitos saudáveis como uma alimentação de qualidade e investir na construção de uma vid

Veja mais detalhes sobre Medicamento para Ejaculação Precoce, clicando na imagem abaixo.

impotência na terceira idadeGlóbulos 15 gramas
Dê fim a sua ejaculação precoce com um medicamento homeopático exclusivo da Farmácia Eficácia!

comprar

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...

Sobre Ellen Frazão

Meu nome é Ellen Frazão e promovo a boa nutrição. Trabalho com dietas, tratamentos para emagrecimento, reeducação alimentar, atividades físicas voltadas para melhoria do metabolismo, alimentação infantil e grupos especiais. Fique à vontade para fazer perguntas e postar seus comentários! Acesse meu Perfil no Google+. Sou uma personagem criada para representar a equipe farmacêutica e nutricionista da Farmácia Eficácia que criam, revisam e respondem por todos os artigos publicados no blog.